6 minutos de leituraUm Senhor Estagiário: Lições sobre Liderança

Apesar de ser um filme de 2015, Um Senhor Estagiário despontou no Top 10 brasileiro da Netflix durante a pandemia de 2020. O longa tem o protagonismo – nada mais, nada menos – que de Anne Hathaway e Robert De Niro. Os dois hollywoodianos conduzem este filme de forma leve, mas com significados muito profundos, especialmente sobre Liderança (e liderança feminina, em especial), assim como sobre a relação entre gerações e os desafios dos relacionamentos modernos. Você pode assistir ao trailer do filme clicando aqui, ou ler a sinopse neste link.

SETE APRENDIZADOS COM BEN WHITTAKER

Ben representa a lógica da vida! A primeira cena do filme já dá o endereço sobre quem ele é: serenamente pratica Tai Chi Chuan. Está em equilíbrio e bem-estar.

SETE lições que aprendemos com ele:

1 – A ilusão da aposentadoria: após parar de trabalhar, Ben não se realizou, pois o prazer real está na produção e em entregar o seu melhor para a sociedade. O ser humano faz parte da natureza e, assim como ela, deve estar sempre em movimento, em ação;

2 – Ritual de socialização: todos os dias, Ben vai a uma cafeteria para estar em meio a empresários, mesmo sem conhecê-los, e interagir. O ser humano é um ser social, e Ben faz questão de manter as conexões!

3 – Conexão profunda com o autoconhecimento: ainda no inicio do filme, Ben diz: “Sei que há um buraco na minha vida”. Ele toma consciência sobre isso para buscar a saída por meio da ação. Quando vê o anúncio de estágio, está pronto. Tem interesse pelo desafio e abertura para o novo;

4 – Fidelidade a si mesmo: Ben cuida da sua própria alma! Ele sabe o que quer para si e não é afetado pelo interesse de outras pessoas que não estão em sintonia com ele. Isso nos faz pensar sobre o clichê “enquanto não acho o certo, me divirto com o errado.” Será que isso realmente faz sentido?

5 – Autenticidade: Essa característica fica clara no vídeo de apresentação que grava para concorrer à vaga de estagiário: Ben mostra a sua alma! Sem vitimismo, mas assumindo o que sabe e o que é. Frases de referência: “Não sei, vou aprender, estou animado!” e “Músicos param quando não há mais música neles. Em mim há”;

6 – Velhice não tem nada a ver com idade cronológica! É, sim, uma postura perante a vida. Aos 70 anos de idade, Ben não se sente velho. Ele fica espantado quando vê os outros concorrentes à vaga de estagiário e percebe que não tem nada em comum com aquelas pessoas. Não se reconhece na postura de outros idosos!

7 – Amor próprio: Ben é cuidadoso e delicado consigo mesmo. Faz questão de estar organizado por dentro e por fora. Seu relógio, sapato e gravatas são impecáveis, o que reflete seu estado interior. Um alimenta o outro. Ele não se preocupa em entrar na moda, não quer se igualar a massa. É fiel a si mesmo.

COLABORAÇÃO ENTRE LÍDERES E LIDERADOS:

OITO lições de Ben e Jules

1- Ser o braço direito: Ben sabe, o tempo todo, que está trabalhando no projeto da Jules. Não se coloca a criticar, a minimizar, a fazer fofoca, a falar mal. Está ali para contribuir e nisso constrói a sua grandeza e ganha a sua vida;

2 – Conexão: comer conecta! Ben e Jules finalmente se entendem quando ela compartilha uma pizza e uma cerveja com ele. No ambiente de trabalho, mas sem falar de trabalho. A conexão é tão verdadeira que, pela primeira vez na vida, Jules conseguiu dormir no banco de trás do carro quando ele a leva para casa;

3 – Humildade: Jules não vê problema algum em admitir que errou quando pediu a transferência de Ben. Faz questão de consertar pessoalmente e imediatamente. É humilde ao pedir desculpas: “Eu sou melhor do que isso! Espero que aceite minhas desculpas”. Ben, também humilde, volta feliz, sem joguetes e sem revanche;

4 – Servir: Ben é comprometido com o trabalho que tem, não importa o que fazia antes. O que ele faz é se entregar 100% ao presente, prestando atenção a todos os detalhes importantes ao seu trabalho. Não minimiza nada;

5 – Atenção plena: Ben está sempre focado no trabalho. Mesmo sem ser acionado por Jules, está de olho nela o tempo todo;

6 – Contemplação de si mesmo: quando finalmente se conecta com Jules, Ben chega em casa e faz uma festa pra si, com uma mesa bem posta e um bom vinho. É a arte de viver!

7 – Fazer mais do que o esperado: ações simples fazem toda a diferença na vida de Jules, como limpar a mesa de entulho do escritório;

8 – É no básico que está o sucesso: glamour é ilusão. Jules faz questão de participar do teleatendimento da empresa, garantindo a qualidade do serviço e a satisfação dos clientes.

Por fim, não poderíamos deixar de falar do exemplo profissional de Jules Ostin!

DEZ inspirações de Liderança Feminina

com Jules Ostin

1 – Adora atender o cliente: sabe da importância de um bom atendimento e passa por todos os setores para acompanhar a produção da sua empresa;

2 – A empresa é sua vida, sua prioridade: é o que alimenta a alma. Por quê? Pois é o que vai deixar de legado;

3 – É a que mais se dedica: a relação com a empresa é visceral. Uma conexão existencial entre criador e criatura. Achar que empreender é trabalhar menos é uma ilusão;

4 – Está sempre atenta aos detalhes: quando vê um problema, vai pessoalmente resolver. Está presente o tempo inteiro;

5 – É educadora: dissemina a cultura do negócio por meio da educação de seus colaboradores;

6 – Relação com os investidores: no decorrer do filme, entende sua relação com os investidores. O empreendedor que perde sua liberdade, perde a alma. A empresa é a materialização de um sonho;

7 – Transforma sex appeal em business appeal: o erotismo é uma das maiores forças de um ser humano. Jules sabe direcionar essa força para a construção do negócio, com estilo e elegância, mantendo sua feminilidade. Vive qualidade para entregar qualidade;

8 – É inteira em tudo o que faz: íntegra e fiel a si. “A pior traição é a si mesma”;

9 – Percebe os sinais: está sempre atenta aos sinais que a vida emana. Tem feeling e não se apavora com falsos alarmes;

10 – Se encanta com o belo: tem uma conexão com o transcendente e vê a beleza em pequenos prazeres da vida!

 

O Cine In Sonata é uma técnica de autoconhecimento.

Todas as quintas-feiras, as sócias e fundadoras da Sonata Leadership Academy, Soraia Schutel e Natalia Leite, compartilham reflexões profundas sobre filmes que marcam gerações e que vão muito além do entretenimento. As transmissões acontecem ao vivo pelo app de teleconferência ZOOM.

É possível participar gratuitamente das sessões de todas as quintas-feiras. Basta fazer sua inscrição neste link. Você também receberá os vídeos das edições passadas.

No Comments

Post A Comment