6 minutos de leituraQual o legado do seu negócio?

legado-nelson-mandela

“Não importa o quão estreito seja o portão e quão repleta de castigos seja a sentença, eu sou o dono do meu destino, eu sou o capitão da minha alma”

O trecho acima é parte do poema Invictus, do britânico William Ernest Henley, escrito em 1875. Foi nesse texto que Nelson Mandela, líder sul-africano, símbolo da luta contra o Apartheid, encontrou a inspiração e a força necessárias para manter-se vivo durante os anos em que esteve preso. O legado de Nelson Mandela é reconhecido no mundo todo, e a Sonata Brasil, por meio da análise de sua biografia e de filmes que a contam, traz lições que vão inspirar sua liderança e que podem ser ferramentas para que seu negócio deixe um legado no mundo.

poema-invictus

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Além de poema, Invictus é o nome do filme que mostra os movimentos da liderança de Nelson Mandela para unificar a nação, após o Apartheid, fomentando o Rugby e o amor de toda a nação pelo esporte para isso.

Neste artigo, você encontra inspiração em oito lições da liderança de Nelson Mandela, exemplificadas no filme Invictus. As interpretações são uma visão da Sonata Brasil sobre o tema e têm como base a interpretação de filmes pelo método Cine In: arte e autoconhecimento.

Você pode ouvir um Sonata Cast sobre essa técnica clicando aqui. O episódio está disponível no Spotify, Google e Apple Podcasts, assim como no YouTube.

Leia este artigo até o fim e conheça esse método inovador que, por meio da arte, traz resultados reais e palpáveis para as lideranças.

 

OITO LIÇÕES DE LIDERANÇA DE NELSON MANDELA

NO FILME INVICTUS

 

  • Invictus traz importantes exemplos de liderança humanizada. No início do filme, Mandela passa por dois campos esportivos: um verde e saudável e o outro seco e árido. A cena mostra que o líder tem que saber transitar em diferentes contextos, e que liderar é também servir de ponte entre uma realidade não tão boa e outra melhor.
  • Mandela mostra, pelo exemplo das suas caminhadas matinais, como cuida da sua saúde, tem disciplina e pontualidade. Você sabia que existe uma uma hierarquia no desenvolvimento do humano? O autocuidado vem em primeiro lugar; só depois é possível o cuidado, a entrega e o interesse genuíno em relação aos outros.
  • A todo momento, Mandela se mostra à disposição da vida e a serviço de algo maior. Quando um líder toma essa posição, considerando o progresso, a evolução e o melhor para todos, recebe de presente “a mão mágica da vida”, que traz insights, intuições e força interior.
  • O filme nos lembra da vulnerabilidade do humano: ninguém está isento de ter problemas pessoais e desafios. A paz de espírito e o equilíbrio expressados por Mandela mostram a importância da liberdade interna de se dissociar da crise e dos problemas para, a partir daí, conseguir resolvê-los.
  • O filme nos mostra a necessidade de despertarmos a grandeza da liderança humana para lidar com crises. Do início ao fim, Mandela protagoniza cenas em que o amor, o perdão e a conexão são forças poderosas que têm a capacidade de transcender o impossível. 

Lembremos de uma cena em que seguranças brancos – parte da antiga equipe presidencial – estavam sendo incorporados ao grupo de seguranças de Nelson Mandela. O segurança-chefe questiona: “o que eles estão fazendo aqui? Há poucos dias os brancos desejavam nos matar!”.

Mandela fala, então, que o perdão tem que iniciar por eles e resgata sua potência: “o perdão tira o medo e liberta a alma”.

  • Mandela sempre pensou no presente e no futuro. Tinha claro seu objetivo, com foco no propósito maior de unir a nação, e não no passado, quando viveu preso por 27 anos.
  • O líder sabe que a violência é contra o fluxo da vida e que só é possível unir por meio do que amamos. Mandela enxerga no Rugby uma maneira de unir a nação.
  • Quando um ser humano se reconecta com a lógica da vida e transcende o racional, passa a se abrir para infinitas possibilidades. No caso do filme, isso inclui algo considerado impossível a todos, como a seleção africana ganhar a copa de Rugby. Em uma cena aparecem Mandela e o Ministro dos Esportes. O Ministro diz: “Pelas estatísticas, não seria possível ganhar as olimpíadas”. Mandela responde: “Pelas estatísticas, nós deveríamos estar presos”.

 

O QUE NOS FAZ ESTAR DENTRO DA VITÓRIA? 

“IN VICTUS” significa dentro da vitória. No decorrer do filme, o personagem de Nelson Mandela mostra, por meio de exemplos, como conquistá-la.

Na visão da Sonata Brasil, a única forma de chegar à vitória é por meio de um grande propósito humano. Para isso, é necessário ter vontade

Segundo Soraia Schutel, “a vontade desata os nós, ilumina a obscuridade dos cantos da mente, do medo, da impotência, da separatividade e do egoísmo. Está ligada ao nosso plano espiritual da abundância do fluxo da vida e da energia”. Quanto mais a nossa motivação transcender o racional e estiver conectada ao ao propósito e à humanidade, mais nos sentiremos fortalecidos e maior será esse fluxo.

Qual a sua filosofia de liderança? A de Mandela é o poder da inspiração.

 

 

QUE TIPO DE LEGADO VOCÊ ESTÁ DEIXANDO ENQUANTO LÍDER?

A Sonata Brasil inova no desenvolvimento de lideranças e empreendedores, trazendo a arte do cinema como ferramenta no processo educacional. Com leveza e profundidade, o programa Cine In proporciona um mergulho em quem somos e na vida. 

Uma das sessões de maior sucesso do Cine In foi a interpretação que Soraia Schutel e Natalia Leite fizeram do filme Invictus. O longa é baseado no livro “Playing the Enemy: Nelson Mandela and the Game That Made a Nation” de John Carlin e tem como pano de fundo a conquista da Copa do Mundo de Rugby de 1995 pela Seleção Sul-Africana, organizada no país após o apartheid. 

Morgan Freeman e Matt Damon interpretam, respectivamente, o presidente sul-africano Nelson Mandela e François Pienaar, capitão da equipe da seleção sul-africana de rugby.

Além da análise do filme, o Cine In possibilita ver o que você pode trazer para a sua vida hoje! Porque tudo comunica o tempo todo.

Você anda atento a essas comunicações? Incluindo as mais sutis?

Você é nosso convidado a despertar para o sutil por meio do Cine In: arte e autoconhecimento.

Basta de inscrever gratuitamente clicando aqui.

Você pode ouvir um Sonata Cast sobre essa técnica clicando aqui. O episódio está disponível no Spotify, Google e Apple Podcasts, assim como no YouTube.

 

 

No Comments

Post A Comment