2 minutos de leituraHá quanto tempo você não amplia seu repertório?

“O acasofavorece a mente preparada” 

Louis Pasteur

Você já deve ter ouvido falar sobre a importância de ampliar repertório pois, quão maior é seu repertório, tão maior será seu entendimento.

Há quanto tempo você não amplia seu repertório?

E como isso pode acontecer? Apenas seguindo “mais do mesmo”? Apenas caminhando pelos mesmos lugares?

A palavra serendipidade significa a descoberta, de forma acidental, de algo que tenha ou desperte muito valor e que se mostre útil. Significa “um feliz acaso”. Foi criada, no século XVIII, pelo escritor inglês Horace Walpole, que fazia referência ao conto persa “Os três príncipes de Serendip”, príncipes do Ceilão que viviam fazendo descobertas inesperadas, cujos resultados eles não estavam aguardando.

Desde então, a serendipidade trouxe grandes avanços e conquistas para a nossa sociedade. Muitas descobertas e soluções de grandes estudiosos e cientistas surgiram “por acaso” e, em alguns casos, mesmo por “erros”.

Um exemplo é a penicilina, descoberta por Alexandre Fleming que, ao se preparar para entrar em férias, inoculou estafilococos – bactéria que pode causar doenças graves – em uma bandeja e, ao invés de colocá-la na incubadora, como normalmente fazia, deixou sobre a bancada. E hoje temos um dos principais medicamentos no combate às infecções bacterianas.

 

Mas será mesmo que existem “descobertas inesperadas” ou elas surgem quando temos repertório suficiente para entendê-las?

 

Ampliar o repertório, por vezes, passa por desaprender o que já sabemos, revisitar hábitos que possam estar nos limitando e até mesmo desconstruir formas fixas de pensar.

Quando nos abrimos para novos conhecimentos, ampliamos as possibilidades de conexões entre tudo o que conhecemos, podendo criar novos resultados e ter novas descobertas.

Para sair da sua bolha, em que só é possível ouvir seu próprio eco, é essencial desenvolver autoconhecimento e buscar desenvolver novas habilidades, incluindo soft skills, as chamadas habilidades comportamentais.

Desenvolver novas formas de ver e de pensar pode ser leve e prazeroso. E é com leveza – e ao mesmo tempo com muita profundidade – que a Sonata Brasil faz isso por meio da arte.

CINE IN: ARTE E AUTOCONHECIMENTO

 

A Sonata Brasil inova no desenvolvimento de lideranças e empreendedores, trazendo a arte como ferramenta no processo educacional.

Para a Sonata, um livro, uma obra de arte pintada ou esculpida ou até mesmo um filme são meios para a aprendizagem transformadora.

Uma das metodologias que utilizamos é o Cine In: arte e autoconhecimento, método que utiliza da análise de filmes para promover um mergulho em quem somos e na vida.

Você é nosso convidado a despertar para o sutil por meio do Cine In: arte e autoconhecimento.

Basta se inscrever gratuitamente clicando aqui.

 

 

 

No Comments

Post A Comment