Autogestão para Lideranças é o tema do décimo episódio do Sonata Cast: afinando talentos, acelerando carreiras. Antes de gerenciar um time, o líder precisa fazer sua autogestão: administrar seu tempo, relações, carreira e vida integralmente.

A autogestão não faz parte dos currículos universitários, que baseiam seus conteúdos na gestão externa dos negócios – nas ferramentas – mas não na auto administração das lideranças. Autogestão , entretanto, é um tema que a Sonata Brasil trabalha desde seu nascimento, sempre com foco na pessoa do gestor para, depois, chegar no seu impacto sob a administração da empresa.

Em tempos de pandemia, a autogestão torna-se um tema ainda mais importante. A obrigação de permanecer no mundo privado traz à tona todas as dimensões da vida às quais não estávamos prestando atenção antes do isolamento obrigatório, como o próprio corpo, os relacionamentos, o estudo e até o autoconhecimento. 

Segundo Soraia Schutel, “é como se a crise desse luz para as dimensões privadas.”

Na crise, os gestores saem de um papel de cobrança de resultados e passam a ser cuidadores das relações entre as pessoas para depois – eventualmente – terem um resultado. Não é só atingir a meta, é o autocuidado do gestor e de seus times.

Peter Druker é um dos grandes estudiosos da autogestão e diz que a prática de gestão requer uma perspectiva holística, combinando habilidades analíticas com uma compreensão firme da dimensão humana dos negócios. Seu artigo na Harvard Business Review fala sobre Managing Oneself , ou seja, a importância da autogestão. 

O modelo de gestão a que os administradores foram educados não dão conta dos problemas que todos enfrentamos hoje: o chamado mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo) É preciso ir além.

OS QUATRO PILARES DA AUTOGESTÃO

FÍSICO: tudo aquilo que diz respeito ao mundo mais concreto e material: o corpo. O corpo se nutre e se alimenta de energia, que vem de alimentos (calorias), do sol, de rituais de limpeza como o banho, de exercícios físicos – necessários para o bem-estar e para renovar a energia do corpo –  e do sono, um período do dia essencial para a qualidade de vida.

Sugestão de livro: Mentes Felizes , de   Stan Wenck , Teresa Aubele , Susan Reynolds , pesquisadores que falam como ter uma vida mais feliz cuidando do corpo e da mente.

MENTAL: essa dimensão nutre-se de informação, seja ela da TV, redes sociais, jornais, revistas ou outras fontes. Precisamos tomar cuidado com a qualidade da informação que estamos ingerindo para nutrir a mente. Um alimento estragado ou em excesso faz mal; o mesmo vale para as informações.

EMOCIONAL: essa dimensão é impactada especialmente pelas qualidade das relações, que também precisam passar pela autogestão. A pesquisa mais longa que a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, já fez (durou 76 anos!) chegou à conclusão que o que está na raiz de uma vida feliz e saudável é qualidade das relações. Leia reportagem da BBC sobre o tema clicando aqui.

PSÍQUICO: essa dimensão é nosso universo mais profundo – que não enxergamos, mas que gera efeitos. O mundo psíquico nutre-se de inspiração. Como? Por meio de biografias, filmes, leituras, poesias, artes gerais, filosofia, etc. É preciso começar a nutrir a psique a partir de tudo que nos inspira. Quanto mais nos nutrirmos de inspiração, mais fortes ficarão também as outras dimensões

 

AUTOGESTÃO E AUTOCONHECIMENTO

As quatro dimensões da autogestão reforçam a necessidade do autoconhecimento. “Se não conheço a mim mesmo, como vou gerenciar outras pessoas?”, diz Soraia no décimo episódio do Sonata Cast . Segundo a CEO da Sonata, a área de gestão precisa deixar de lado o preconceito com as temáticas de autoconhecimento, deixar de julgá-las por não ter embasamento em métricas e gráficos.

Quando os gestores entenderem que é justamente o autoconhecimento que traz resultado muita coisa vai mudar O autoconhecimento é um pilar da autogestão, e testes científicos colaboram como ferramentas para a liderança entender seus perfis comportamentais, seus valores e vulnerabilidades. Por exemplo, assessments como o PDA, DISC, MBTI, etc.

A Gestão de Pessoas é uma área que precisa ter coerência: “você só conhece fora, se conhece dentro”. O novo momento da liderança é daquela que é coerente entre o que fala e o que faz. São essas as lideranças que engajam e inspiram. 

A dica deste episódio é: “abra-se a qualquer forma de autoconhecimento. Encontre sua singularidade, seu diferencial competitivo e colaborativo, seus valores e, assim, seu lugar no mundo.”

 

SONATA CAST: AFINANDO TALENTOS, ACELERANDO CARREIRAS

O Sonata Cast chegou a seu décimo episódio falando sobre temas como Carreira e Transição, Liderança Humanizada, Arte como forma de autoconhecimento e instrumento para a Liderança, Sonhos Sonhados à Noite e tomada de decisões. Enfim: temas que fazem parte da educação integral do ser humano rumo à prosperidade.

Todos os episódios estão disponíveis no Spotify, Google e Apple Podcasts.

Acesse, também, no YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.