2 minutos de leituraTemperamento e caráter são a mesma coisa?

Você sabe a diferença entre temperamento e caráter? Ou acha que significam a mesma coisa? Na verdade, são dois conceitos diferentes e é importante entender cada um, veja porquê:

Vamos começar conhecendo a origem das palavras. Temperamento é formado por duas palavras vindas do latim: tempus e mens, que significam tempo e mente, respectivamente. Porém, tempus, para os latinos, não era apenas o tempo do relógio, mas sim o conceito de tempo e espaço juntos. Então, temperamento significa como a minha mente se adapta ao espaço-tempo. Perceba que essa é uma característica interna que você externaliza no dia a dia.

Isso significa que o temperamento que você tem hoje foi influenciado pela forma como você absorveu os detalhes da sua formação: o local de seu nascimento, em qual cultura você está inserido, a qual tipo de educação, lazer, esportes, religião você teve acesso. Mesmo irmãos, criados na mesma casa e pelos mesmos pais, possuem temperamentos diferentes, porque cada pessoa absorve o ambiente de uma forma única – afinal, cada pessoa é uma.

O temperamento é a capacidade da pessoa de se posicionar no contexto e, como o contexto está sempre mudando, é uma característica muito flexível, influenciada pela minha forma de absorver e interagir com o mundo. Se eu tendo a me colocar sempre da mesma forma em vários contextos diferentes, já tenho um problema.  Não posso querer me comportar em um ambiente profissional como um filho, como me comporto em casa com os pais, por exemplo.

Ao contrário disso, caráter é algo moldado pelo ambiente. A própria palavra deriva do verbo grego carasso, que significa esculpir, isto é, o seu caráter foi esculpido pela sua família, amigos, professores, mentores etc. Todas as regras sociais, leis, proibições e permissões a que você foi ensinado definem o seu caráter. Perceba que neste caso é o contexto externo que molda uma característica interna sua.

De uma certa forma, o seu caráter limita o seu temperamento, pois dá as regras de como agir em cada situação, conforme foi moldado desde a infância. Não é algo negativo, mas é um ponto a ser observado: esta ação “x” eu estou fazendo por que é o que eu quero fazer (baseado no meu temperamento) ou é com base no que eu aprendi a fazer (com base no caráter)? Essa é a dica prática: devemos resgatar o nosso temperamento, conhecê-lo, lembrar de como éramos quando crianças pois, geralmente, estamos acostumados a nos observar e agir apenas através do nosso caráter.

Se você quiser um auxílio profissional para se conhecer mais, conheça nosso serviço de Transformative Coaching (leia aqui) e resgate a melhor versão de você: a interna.

No Comments

Post A Comment